segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Entrevista com moradora do bairro!

video

Entrevista: Marília Pacci

Moradora do bairro Cidade Ademar, Marília já adotou seis cães de rua.

Ela nos fala sobre o problema do abandono e as possíveis soluções para o mesmo.

Acompanhe sua entrevista!

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Guia de cuidados com cães

A seguir, algumas orientações básicas sobre os cuidados com os cães. Considere que existem variações na conduta dos veterinários, portanto, use esse guia apenas como base. O veterinário que trata seu cão e o conhece diretamente é quem melhor pode orientar sobre os cuidados com ele.


Alimentação
Filhotes a partir de 45 dias de idade: ração para filhotes certamente é a melhor opção. Existem muitos tipos (secas, semi-úmidas ou úmidas), sabores (carne, frango, carneiro, fígado, etc.) e marcas no mercado. Na primeira consulta, o veterinário recomendará o tipo de ração que você deverá fornecer ao filhote. A quantidade de ração a ser dada varia com a raça e o peso do animal. Os fabricantes de ração, na própria embalagem do produto, fazem a recomendação da quantidade ideal.
Mesmo que o filhote rejeite a ração, insista. Não fique tentando oferecer outro tipo de alimento como carne e arroz, isso só vai piorar. Misture ração úmida, em latinha ou sachê, junto com a ração seca para torná-la mais atrativa.

Dicas: os filhotes comem 3 a 4 vezes ao dia quando pequenos; os filhotes passam a comer menos à medida em que vão crescendo; assim, reduza o número de refeições gradativamente. O adulto (a partir de 1 ano) come 2 vezes ao dia; a ração para adultos deve ser dada a partir de 1 ano de idade. O excesso de alimentação causará obesidade e inúmeros problemas ao animal; restos de comida, doces, massas e tudo o que não for prescrito pelo veterinário deve ser evitado, mesmo que o cão goste ou queira comer. O cão que "pede" comida da mesa dos donos deve ser repreendido ou retirado do local das refeições familiares; mudanças alimentares devem ser feitas gradativamente ou o animal poderá apresentar diarréia; cães de raças grandes devem ser alimentados 2 vezes ao dia quando adultos. Isto evita que ele coma grandes quantidades de alimento de uma vez e venha a ter uma torção do estômago.

Cálcio e vitaminas

O filhote que não recebe uma alimentação balanceada necessita de complementação de cálcio e vitaminas no primeiro ano de vida, época de crescimento muito acelerado. A falta de cálcio nessa fase causará o raquitismo. No entanto, cães que se alimentam exclusivamente de ração balanceada, de boa qualidade, podem ter as necessidades de cálcio supridas, desde que se alimentem corretamente, na quantidade indicada pelo fabricante da ração.
De qualquer forma, o veterinário que acompanhará o crescimento do cão deverá analisar o caso, o tipo de alimentação e a necessidade de cálcio e vitaminas para o animal.

Vacinação
É, sem dúvida, o cuidado mais importante tanto para o filhote como para o cão adulto. Os animais devem ser imunizados antes de começarem a freqüentar as ruas. Existem muitas doenças virais que podem acometer os cães e são causadoras de um grande número de mortes, principalmente nos filhotes.
Para ser vacinado, o animal deve estar saudável, sem frebre ou diarréia, e previamente vermifugado. Se isso não for observado, pode ocorrer
falha vacinal, ou seja, o organismo não responder plenamente à vacinação.
As vacinas que seu cão deve receber e intervalos entre as doses devem ficar a critério do veterinário que irá cuidar de seu animal. As vacinas múltipla (V8 ou V10) e anti-rábica são obrigatórias em qualquer esquema de vacinação. Abaixo, um calendário para a vacinação de filhotes, com as vacinas existentes no mercado:

- 45 a 60 dias:
1a. dose vacina múltipla*1a. dose vacina contra Giardia vacina contra a Tosse dos canis
- 21 dias após a 1a. dose:
2a. dose vacina múltipla2a. dose vacina contra Giardia
- 21 dias após a 2a. dose:
3a. dose vacina múltipla
- a partir de 4 meses de idade:
anti-rábica

Cabe ao veterinário decidir o melhor esquema para cada animal.


Castração - Mitos e verdades

A castração ainda é um assunto bastante polêmico para os proprietários de animais de estimação. Está associada à imagem de cães e gatos gordos e letárgicos, "cirurgia cruel", "mutilação do animal", etc.. É preciso desvendar o que há de falso e verdadeiro sobre a castração e entender bem quando ela é recomendada.

"A castração deixa o animal gordo"Falso. A castração pode causar aumento do apetite, mas se a ingestão de alimento for controlada e o dono não ceder às vontades do animal, o peso poderá ser mantido. Observa-se que animais castrados quando jovens, antes de completar 1 ano de vida, apresentam menos sinais de aumento de apetite e menor tendência a se tornarem obesos. A
obesidade pós castração é causada, na maioria das vezes, pelo dono e não pela cirurgia.

"A castração deixa o animal bobo"Falso. O animal ficará letárgico após a castração apenas se adquirir muito peso. Gordo, ele se cansará facilmente e não terá a mesma disposição. A letargia é conseqüência da obesidade e não da castração em si. Os animais na fase adulta vão, gradativamente, diminuindo a atividade. Muitos associam erroneamente esse fato à castração.

"A castração mutila o animal, é uma cirurgia cruel!"Falso. A cirurgia de castração é simples e rápida e o pós-operatório bastante tranqüilo, principalmente em animais jovens. É utilizada anestesia geral e o animal já estará ativo 24 horas após a cirurgia. Não há nenhuma conseqüência maléfica para o animal que continuará a ter vida normal.

"A castração evita câncer na fêmea"Verdadeiro. As fêmeas castradas antes de 1 ano de idade, têm chance bastante reduzida de desenvolver câncer de mama na fase adulta, se comparado às fêmeas não castradas. A possibilidade de
câncer de mama é praticamente zero quando a castração ocorre antes do primeiro cio. A retirada do útero anula a chance de problemas uterinos bastante comuns em cadelas após os 6 anos de idade, cujo tratamento é cirúrgico, com a remoção do órgão.

"O macho castrado não tem interesse pela fêmea"Falso. Muitos machos castrados continuam a ter interesse por fêmeas, embora ele seja menor comparado a um animal não castrado. Se o macho é castrado e há uma fêmea no cio na casa, ele pode chegar a cruzar com ela normalmente, sem que haja fecundação.

"Castrando os machos eles deixam de fazer xixi pela casa"Verdadeiro. Uma característica dos machos é demarcar o território com a urina. Se o macho, cão ou gato, for castrado antes de um ano de idade, ele não demarcará território na fase adulta. A castração é indicada também para animais adultos que demarcam território urinando pela casa. Nesse último caso, pode acontecer de animais continuarem a demarcar território mesmo após a castração, pois já adquiriram o hábito de urinar em todos os lugares.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Cidade Ademar e o abandono de Cães

O Bairro localizado na zona sul de SP (Cidade Ademar), vem sofrendo constantemente com o descaso e desprezo, em relação aos animais, em específico os cães, que são abandonados por seus donos, que por diversos motivos abandonam seus cães, os deixando em situações precárias e de sofrimento.

Muitos não se preocupam com as conseqüências de um abandono, como: o cão pode vir a morder algum morador, pode transmitir doenças por falta de cuidado, pela falta de cuidado também ficam com mal cheiro, fazem suas necessidades em qualquer lugar sem ter alguém pra recolher, espalham lixo e etc.

Pela nossa pesquisa foi constatado, que os moradores não ligam com o que irá acontecer com seu animal de estimação depois que ele é abandonado. Como nos foi relatado, eles passam muita fome, frio, sofrem queimaduras, espancamentos e até mesmo estupros.

Você gostaria de ser abandonado? Pense, um cão é como uma criança, que ao ser deixada, está despreparada e é inocente, não merece sofrer, não deixe que isto aconteça!

Sobre o Bairro Cidade Ademar

Bairro surgiu na década de 1960 com povoamento
de migrantes de outros estados.


Seus bairros e vilas surgiram devido ao grande impulso de processo de urbanização com decadência dos grandes fazendeiros, que eram obrigados a lotear suas terras, então começou o processo de urbanização com o surgimento de loteamentos vendidos aos operários migrantes que vieram de diversas partes do Brasil em busca de uma vida melhor.

O êxodo rural ocorrido na década de 70, conhecido como a expulsão do homem do campo para as grandes cidades, contribuiu para o aumento populacional da região, atraídos pelos loteamentos por causa do parcelamento e a possibilidade de possuir um pedaço de terra.


Dois proprietários de terras e fazendeiros fizeram parte da vida da região: João e Nilza donos da região hoje conhecida como Vila Joaniza e Americanópolis.

Cidade Ademar é cortada por 7 grandes corredores: Av. Cupecê, Av. Washington Luís, Av. Yervant Kissajikian, Av. Nossa Senhora do Sabará, Av. Nações Unidas trecho, cruzamento Av. Interlagos até cruzamento com Av. Washington Luís, Estrada do Alvarenga e Av. Alda que faz divisa com o município de Diadema.
A região hoje não tem mais condições de expansão, existem poucas áreas disponíveis para moradia ou local para o desenvolvimento de algum projeto habitacional. Conforme os dados de crescimento populacional é preocupante a situação já que as possibilidades de expansão para moradias são poucas.

Nome do bairro é homenagem a ex-governador paulista.

Cidade Ademar, na zona Sul de São Paulo, foi nomeada em homenagem ao político Adhemar Pereira de Barros, cujo genro era proprietário de terras na região.

Realizou obras de vulto em diversas áreas, tais como a abertura das rodovias Anchieta e Anhangüera, a construção do Hospital das Clínicas e de outras instituições hospitalares, além da construção de várias escolas.

Era o governador de São Paulo na época do golpe militar de 1964, do qual teve atuação destacada. Apesar disto foi deposto em 1966 e teve seus direitos políticos cassados. Faleceu em Paris, em 1969, durante o exílio.